Sábado, 21 de Novembro de 2009

 A vida levanta pó que se farta. ..o trabalho, os amigos, os amores... são as crianças e o casamento, os pais e os irmãos, os sonhos... (...) O pó dos dias leva a que imaginemos que a vida corre por si. .. (...) e obriga-nos a lamentar, quase para sempre, o quanto desejávamos transformar o pó dos dias numa manhã de sol. se pudéssemos... é claro!

Nem sempre querer é poder.

Muitas vezes quer-se e não se pode. A diferença está entre querer... e acreditar que se pode.

Sempre q acreditamos, os milagres acontecem. E aquilo q falta a quem quer (e não pode) é um "vai, que eu olho por ti". Alguém q, algures na nossa vida, nos tenha dado a suprema bondade de acreditar naquilo em q acreditamos, e de querer o q nós queremos, q transforma o querer em poder. 


Em verdade, o truque esconde-se neste pequeno pormenor: quando se quer, ninguém consegue ir - mesmo q vá pelos seus sonhos - contra todos os q, afirmando q gostam de nós, jamais nos dizem: "vai, que eu serei a tua âncora" Ou "vai, q eu olho por ti". (Por vezes, dizem mesmo, embrulhado num silêncio cobarde: "se fores, deixo de olhar por ti").


Todos nós precisamos duma âncora para que os milagres aconteçam e, assim, se vença o pó dos dias. E talvez seja isso o que a vida tem de mais desconcertante: não são os ventos nem as marés, só as âncoras... nos permitem navegar. 

 

Eduardo Sá. Chega-te a mim e deixa-te estar. 1ª edição. Setembro de 2005 Oficina do Livro

 



publicado por baldino às 16:51 | link do post | comentar

mais sobre mim
posts recentes

Tecnologia a mais mete me...

Qual a diferença?

Nobreza Portuguesa

O discipulo

Permanecer

Agora é facil

Recordaçoes de Luanda III

Estado de espirito

Rezar com Maria em tempo ...

Fausto, Goethe

arquivos

Agosto 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

tags

2011 balanço

alberto caeiro

alcochete

bebe quiosque revistas social

carlos drummond andrade palavra mágica p

chile orcamento doclisboa howard jacobso

circo chen feira popular lisboa dezembro

fernando pessoa poema felicidade exige v

frankfurt

livro

luanda

magoito

outono

pessoa rossio alma

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds